Leia artigos do Deputado Milton Monti

Brasil tem fundamentos sólidos para enfrentar a crise

Nós temos fundamentos sólidos na nossa economia, nós temos reservas importantes, reservas cambiais, nós temos um mercado produtivo, um parque industrial diversificado, sólido, e acho que o país enfrentará essa crise numa situação de vantagem.

 
Página PrincipalFotos de eventos municipais e regionaisInformações úteis para gestores municipais - ministérios, órgãos públicos, indicadores municipais, secretarias regionaisNotícias e reportagensUtilidade Pública - informações úteis para cidadãos e empresas, como serviços disponveis para a população, concursos,  entre outrasLegislação - Constituição Federal, Legislação da Mulher, Estatuto do Idoso, Código de Defesa do Consumidor, entre outrasTenha acesso ao material de imprensa do Milton MontiEntre em contato com o Deputado Milton Monti

ANEEL PREVÊ REDUÇÃO DE 3% A 12% NA CONTA DE LUZ DE CADA CONSUMIDOR

Contratos de concessão estão vencendo e o governo estuda rever o preço da energia

Os investimentos iniciais para construção de usinas hidrelétricas nos anos 60 e 70 já foram pagos e não devem mais compor a tarifa de energia para os consumidores. Isso vai representar uma diminuição das tarifas para o consumidor. As informações são do Ministério de Minas e Energia.

Os contratos de concessão estão vencendo e o governo estuda rever o preço da energia. Isso porque uma usina é remunerada pelo investimento de sua construção, que é amortizado em 20 ou 30 anos, e faz parte da composição do preço da energia ali produzida, até que ela seja paga.
Apesar dessa mudança, os contratos com as atuais concessionárias do setor podem ser renovados. Até hoje, nenhum país substituiu por nova licitação a concessionária responsável pela operação de uma usina. O Ministério de Minas e Energia estuda essa renovação, que deve alcançar 20% da geração de energia no Brasil, com a revisão dos contratos de 58 usinas geradoras, 41 distribuidoras e mais de 80% das concessões de transmissão elétrica.

A Agência Nacional de Energia Elétrica prevê uma economia entre 3% e 12% na conta de luz de cada consumidor com as mudanças. Com a mudança, o custo a ser levado em conta na hora de montar o preço da tarifa da energia é o da operação da usina e eventuais investimentos localizados, como desgaste de equipamentos. Este modelo já é implantado atualmente com a parte de distribuição de energia, em que a Aneel faz revisões a cada quatro anos para atualizar apenas os custos e avaliar investimentos feitos durante o período. (Rádio Câmara)


Deputado Federal Milton Monti Deputado Federal Milton Monti
Desenvolvimento AgênciaDot. Comunicação Em breve!