Leia artigos do Deputado Milton Monti

Educação para o Trânsito

É comum ouvir-se que os acidentes anuais ocasionados por veículos automotores, no Brasil e no mundo, superam o número de vítimas dos conflitos armados em todo o globo. O que era apenas suspeita, confirmou-se recentemente em amplo estudo realizado

 
Página PrincipalFotos de eventos municipais e regionaisInformações úteis para gestores municipais - ministérios, órgãos públicos, indicadores municipais, secretarias regionaisNotícias e reportagensUtilidade Pública - informações úteis para cidadãos e empresas, como serviços disponveis para a população, concursos,  entre outrasLegislação - Constituição Federal, Legislação da Mulher, Estatuto do Idoso, Código de Defesa do Consumidor, entre outrasTenha acesso ao material de imprensa do Milton MontiEntre em contato com o Deputado Milton Monti

O Brasil para ser passado a limpo

Entendo que ainda precisamos dar outros importantes passos rumo ao futuro. Um dos passos que considero emergencial é a reforma tributária.

A economia e a sociedade brasileira não suportam mais o peso da carga tributária. O modelo atual empobrece a população e compromete as forças produtivas do nosso país. Promover uma ampla reforma tributária será uma decisão que pavimenta o caminho brasileiro para o reconhecimento internacional. Mais importante que isso, é uma decisão que ainda nos falta para oferecer aos cidadãos uma conquista que há muito tempo se levanta como um clamor do povo brasileiro.

É consenso que o atual sistema tributário pesa exageradamente sobre os ombros de quem contribui corretamente. Por outro lado, temos um sistema que facilita e até estimula a sonegação. O peso de custeio do Estado brasileiro acaba recaindo sobre poucos, o que torna o fisco um fardo difícil de suportar.

Esse cenário predatório com o contribuinte abre espaço para a sonegação. Por isso, muitos contribuintes são flagrados nas investigações do fisco federal. Um trabalho necessário para combater a evasão de impostos, mas que custa caro para o próprio sistema de arrecadação.

Esse cenário no serve de alerta para outro aspecto importante. Empresas e pessoas físicas só foram retidas na malha fina porque a Receita sabe que a sonegação é altíssima. Tanto que, anualmente, os sonegadores são obrigados a recolher bilhões em tributos, multas e juros.

Sonegar é injusto, ilegal e inaceitável. Porém, sem essa vida na clandestinidade, muitas empresas simplesmente fechariam as portas. E sua falência prejudicaria ainda mais o combalido mercado de trabalho. Se a sonegação é danosa para no País, a pesada carga tributária também o é.

Por isso defendo a reforma tributária e o imposto único, uma bandeira que o Partido da República levanta com responsabilidade. Nossa proposta é que seja feita uma tributação mais justa e igualitária, para que todos possam pagar e para que todos paguem menos.

Milton Monti é deputado federal e vice-líder do Governo na Câmara Federal.


Deputado Federal Milton Monti Deputado Federal Milton Monti
Desenvolvimento AgênciaDot. Comunicação Em breve!